Barbas fora de molho

Repercutindo o post abaixo: perguntei a Maurício Valladares, o MauVa, do Ronca Ronca, sobre o tal projeto novo do Marcelo Camelo (com quem, obviamente, aos 45 do segundão, não consegui falar).

A resposta taí.

Fãs de Marcelo Camelo que esqueceram a bola de cristal no bolso da outra calça (ou você acha que eles estavam felizes em te ver?) ficaram na pista. Durante quase duas horas, o Ronca Ronca, apresentado, às terças, por Maurício Valladares, na Oi FM, tocou sons esquisitões de uma banda nova. Perto da meia-noite, a stripper saiu de trás da cortina: para surpresa dos ouvintes, MauVa revelou estar em companhia d’Os Imprevisíveis, o (novo) novo projeto de Camelo – que conta, entre outros, com Alex Werner, empresário do ex-hermano e rapaz cuja de-quatrice pela Anna Júlia da vida real inspirou o hit do Los Hermanos. “Não revelei que era o Marcelo. As músicas entravam sem nenhum tipo de aviso e até pareciam gravação, tão boa era a qualidade”, disse o radialista, que só entregou o ouro nos últimos minutos do programa. “Como o Marcelo começou a falar sobre esse projeto junto com o da carreira solo, foi como se não tivesse falado. Ninguém deu atenção. Ele já estava para vir no programa e disse, ‘ei, Maurício, pode ser que eu escolha levar minha banda experimental’. Pensei, ‘opa, mais um lançamento!’. Achei ótimo”.

Experimental. Você leu direito. Se o máximo de experimentalismo que você suporta é seu irmãozinho de quatro anos castigando o teclado de brinquedo que ele ganhou no Natal, obrigado, volte sempre, melhor parar por aqui. “A banda não tem nenhum tipo de sonoridade ligada ao trabalho solo de Camelo. É um projeto abstrato, de música instrumental. Nada comercial para os padrões do rádio e do mercado”, alertou o apresentador do RR. Os Imprevisíveis, afinal, têm de fazer jus ao nome. “Ao longo do programa, eles iam trocando instrumentos. As músicas não tinham início ou fim. Tudo na base da criação coletiva feita na hora”, contou Maurício, que também apresentou no programa, duas semanas antes, a Little Joy, banda do hermano Rodrigo Amarante com o baterista do Strokes, Fabrizio Moretti.

Sobre as empreitadas musicais quase que simultâneas dos barbudos, Valladares afirmou: “Vindo deles, você pode esperar qualquer tipo de relação com a música. Independente do rótulo. O Rodrigo gravou o Little Joy por amizade ao Fabrizio, mas poderia estar fazendo coisa bem diferente. E nada impede que Camelo monte uma banda mais próxima ao Little Joy no futuro. Essas pessoas são como um carrossel, não são previsíveis”. E veio o risinho confidente antes de dizer: “São os imprevisíveis, né?”.

Um preview do som d’Os Imprevisíveis você confere aqui:

 

Anúncios

Tags: , , , ,

3 Respostas to “Barbas fora de molho”

  1. Trabalho Sujo » Arquivo » Camelódromo - OESQUEMA Says:

    […] a banda experimental de Marcelo Camelo, que ele subiu no MySpace na surdina? Os Imprevisíveis seguem uma tradição indie brasileira de […]

  2. Camelinho Imprevisível « BLOODY POP Says:

    […] foi o disco idiossincrático (no bom sentido) do ano e agora chegam Os Imprevisíveis, banda experimental e ruim que ele acabou de formar com outros amigos. Só de […]

  3. DAvi ROcha Says:

    No http://www.highpop.blogspot.com tem uma entrevista inédita e exclusiva com dois dos integrantes dos imprevisíveis.
    uma das primeiras declarações sobre o projeto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: