Posts Tagged ‘little joy’

Barbas fora de molho

outubro 31, 2008

Repercutindo o post abaixo: perguntei a Maurício Valladares, o MauVa, do Ronca Ronca, sobre o tal projeto novo do Marcelo Camelo (com quem, obviamente, aos 45 do segundão, não consegui falar).

A resposta taí.

Fãs de Marcelo Camelo que esqueceram a bola de cristal no bolso da outra calça (ou você acha que eles estavam felizes em te ver?) ficaram na pista. Durante quase duas horas, o Ronca Ronca, apresentado, às terças, por Maurício Valladares, na Oi FM, tocou sons esquisitões de uma banda nova. Perto da meia-noite, a stripper saiu de trás da cortina: para surpresa dos ouvintes, MauVa revelou estar em companhia d’Os Imprevisíveis, o (novo) novo projeto de Camelo – que conta, entre outros, com Alex Werner, empresário do ex-hermano e rapaz cuja de-quatrice pela Anna Júlia da vida real inspirou o hit do Los Hermanos. “Não revelei que era o Marcelo. As músicas entravam sem nenhum tipo de aviso e até pareciam gravação, tão boa era a qualidade”, disse o radialista, que só entregou o ouro nos últimos minutos do programa. “Como o Marcelo começou a falar sobre esse projeto junto com o da carreira solo, foi como se não tivesse falado. Ninguém deu atenção. Ele já estava para vir no programa e disse, ‘ei, Maurício, pode ser que eu escolha levar minha banda experimental’. Pensei, ‘opa, mais um lançamento!’. Achei ótimo”.

Experimental. Você leu direito. Se o máximo de experimentalismo que você suporta é seu irmãozinho de quatro anos castigando o teclado de brinquedo que ele ganhou no Natal, obrigado, volte sempre, melhor parar por aqui. “A banda não tem nenhum tipo de sonoridade ligada ao trabalho solo de Camelo. É um projeto abstrato, de música instrumental. Nada comercial para os padrões do rádio e do mercado”, alertou o apresentador do RR. Os Imprevisíveis, afinal, têm de fazer jus ao nome. “Ao longo do programa, eles iam trocando instrumentos. As músicas não tinham início ou fim. Tudo na base da criação coletiva feita na hora”, contou Maurício, que também apresentou no programa, duas semanas antes, a Little Joy, banda do hermano Rodrigo Amarante com o baterista do Strokes, Fabrizio Moretti.

Sobre as empreitadas musicais quase que simultâneas dos barbudos, Valladares afirmou: “Vindo deles, você pode esperar qualquer tipo de relação com a música. Independente do rótulo. O Rodrigo gravou o Little Joy por amizade ao Fabrizio, mas poderia estar fazendo coisa bem diferente. E nada impede que Camelo monte uma banda mais próxima ao Little Joy no futuro. Essas pessoas são como um carrossel, não são previsíveis”. E veio o risinho confidente antes de dizer: “São os imprevisíveis, né?”.

Um preview do som d’Os Imprevisíveis você confere aqui:

 

Anúncios

There will be beard

outubro 30, 2008

Vou ser telegráfica porque hoje é dia de pescoção no jornal e meu torcicolo tá que não se aguenta mais, ok?

A nova banda do ex (?) hermano Marcelo Camelo, Os Imprevisíveis, foi no Ronca Ronca, terça-feira, e lançou MySpace ontem (sem músicas ainda, só com um vídeo esquisitão). A título de Ginko Biloba: 11 músicas da Little Joy, projeto do Rodrigo Amarante com Fabrizio Moretti, baterista do Strokes, vazaram na semana passada – pouco antes da rodada de shows de Camelo no Tim Festival. O grupo de Amarante, aliás, foi lançado há duas semanas no mesmo Ronca Ronca. Não é a primeira vez que os cotovelos dos ex-companheiros de Los Hermanos se trombam na cena musical. A LJ já tinha adiantado três músicas no MySpace dias após faixas do primeiro solo de Camelo, Sou, pipocarem na rede. Que vença a melhor barba.